sexta-feira, 29 de janeiro de 2010


Nas últimas duas semanas, logo após completar o primeiro mês, meu pitoquinho resolveu não dormir tanto, pra me fazer companhia a tarde inteira e um pedação da noite. É coisa rara dormir (pra valer) durante esse período. O que deixa a mamãe uma pilha pra arrumar tudo por aqui. E também tem o carrinho que ajuda que ele fique por perto, enquanto faço as coisas. As vezes chora me procurando. Mas vejo que ele ta pegando intimidade com o seu "automóvel". rsrs

Logo em seus primeiros dias de vida, eu ficava "bêbada" de sono pela casa. Quanto mais ele dormia, mais eu me contagiava pra ir junto, mas o corre corre é tanto, que você acaba não fazendo mais nada (se só ficar dormindo). E agora, nesse período que dorme pouco, consigo dormir menos ainda. É o tipo de coisa que faz a gente ir pegando o jeito devagarzinho, naTOralmente. (ahaha)

* Nessa foto, ele tava tão lindo dormindo a tarde, deixando a mamãe arrumar as coisas, que resolvi fotografar, pra "variar".

Esse descaradinho lindo ...



Durante a semana: pela manhã, depois de dormir algumas poucas horas na madrugada, ele tem acordando com o narizinho "endubido", e por isso, esttamos lavado com soro. Pensamos até que fosse gripe, mas ele fica assim basicamente quando acorda, e sendo gripe somente o soro não funcionaria.

Como ele ainda não sabe respirar pela boca (por ser tão pequenininho), é indicado, então, descongestionar o nariz, para que não tenha acumulo de catarro. Quando levamos ao médico, ele "ouviu" o peito, mas não tinha nada (ufa!), era somente o nariz que tinha catarro, e que podia ser sanado com o soro, dado algumas vezes ao dia.



**************************************************************************


Mensagem especial pra @turmadabarriga (twitter), que me entende e distrai, nas nossas conversas do "cotidiano materno". Vocês são f....

=D

Quem for mãe/grávida e tiver interesse, VALE A PENA seguir. Estamos sempre por lá, no mínimo umas 20 mães "on" line, por vez. Dá pra bater papo sobre tudo, do nariz entupido do filho, até um monte de bobagem (que ninguém é de ferro) aahahah!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Esse é o vídeo do meu "banguelinho", gravado anteontem (26/01), se acabando de brincar/ rir/ dançar.., com o papai!!

* Colírio pros meus olhos


video

domingo, 24 de janeiro de 2010

O 1° mês ...



Há um mês eu postava por aqui. Estava planejando escrever no blog há dias, e já vinha preparando um esboço do texto “comemorativo” de um mês, dessa nova vida em NOSSAS VIDAS (rs). A adaptação dessa nova rotina, me deixou com o Word aberto constantemente, onde ia escrevendo um pouquinho a cada dia. Já que quase sempre, que estou no pc, estou com ele no colo (o que me faz teclar com um dedo (kkk). Chega a dar um pouco de preguiça na hora de escrever um “textão” pro blog. Agora, exatamente AGORA, ele ta dormindo no carrinho/ berço. Hoje foi o dia pra estrear (tem forma melhor que estrear do que dormir? Não mesmo ... ahaha)

Enfim, nestes dias, aqui em casa, predominou, sem dúvida, a mudança. O que significa um aprendizado constante, pra esses pais de primeira viagem.

Alguns exemplos como o tempo de tomar banho, quando se tem um bebê em casa, ou o tipo de comida (mais rápida) pra se fazer, enquanto ele ainda não acorda. As saídas, que, nesses dias, foram mais do que suficiente para o nosso filhote, que tem muito tempo pela frente, pra sair. Consultas, exames, vacinas e pediatra. Além de algumas vezes, no natal e ano novo, ir pra casa da minha tia (e dinda dele). Ahh, e seu primeiro (grande) evento: a colação de grau (mais intimista), na faculdade, do “Sansão” pai. É incrível que sai de casa dormindo e volta roncando. Mas basta chegar em casa e dar alguns minutos e ele já acorda, pronto pra mamar.

Incrível como nesse primeiro mês, tanta coisa já mudou. Além do tamanho e peso (alegria de mãe), sua pele vai descamando, bem de leve, como se tivesse criando defesas, já que ela é muito fininha. O cocô, dos primeiros dias (mecônio), muda da cor escura pra amarela (papo bom, né? Kkkk). E as unhas que precisam ser cortadas, pois deixam de ser uma extensão da pele pra virarem “unhas” de fato, que já arranham demais. Tem também o umbigo, que depois de todo o processo de limpeza, simplesmente cai!

Além de tantas outras coisas ...

Já depois de algumas semanas de vida, ele deixa também de usar luvinhas e toucas .. sem contar nas roupas que faz você lembrar: “Nossa, como cresceu rápido”. E, por isso, não se pode ficar atrás. Vamos perguntando, pesquisando na net, nos grupos, pra conseguir dar conta do recado, com a ajuda de outras experiências. São tantas situações, na vida da gente (pais de primeira viagem,) que sem mãe por perto, babá, empregada, etc., temos que correr pra cumprir nosso papel. Temos também a ajuda da minha tia e dinda dele, além de minha vó (e mãe de criação), que , por telefone, dão a melhor consultoria eu podetria precisar. São verdadeiros exemplos de mãe. E com elas passo horas no "tricô".

Acaba sendo uma aventura prazerosa e muitas vezes engraçada, ter um bebê em casa. Como ficar achando graça quando ele fica sorrindo enquanto trocamos sua fralda e derrepente : TCHARAN!! Ficamos todos melados, com aquele cocozinho amarelo, que só os recém nascidos sabem fazer.

* E aquele chorinho agudo que faz a gente ter tanta dó, mas que não passa da única forma de ser atendido. Tipo “Oiiiii, tô com a fralda suja, vem me limpar!” ou “Oii, quero mamar de novo!” (já percebo que nesse primeiro mês até o tom vai mudando. Perdendo um pouco aquele agudo que nós tanto ouvimos e, que, vai deixar saudades)

Não canso de olhar pro meu pequeno (caramelo), enquanto mama. (ahh, cada vez mais lindo e a cara do pai. rs). Voltando ao raciocínio ... Perceber cada dobrinha dele, vendo como está a pele, pegando no seu pezinho (ô delícia), cada reação sua enquanto bebe o leite da sua "vaca" preferida (rs). Enfim, admirando a cria. Quando você passa mais de duas horas dormindo (coisa rara nesses seus primeiros momentos de vida) eu já me encho de saudade, mesmo que precise descansar para que, em seguida, volte pra te dar toda atenção do mundo.

É impressionante como não conseguimos descrever todas as coisas que sentimos ou passamos ao lado dos filhos, que NOSSA!!! É tudo muito intenso e também delicado. Quando se trata dos nossos filhos, temos que nos ligar em tudo. Se antes a preocupação era com a gente, que já entende e conhece muita coisa, imagina então cuidar de alguém que não sabe de nada, não teme a nada e depende de nós pra qualquer coisa. Que responsabilidade é apresentar a vida, na real, ao nosso filho! Mas vamos com , que dá pra conseguir.

Consegui terminar, resumindo tudo que foi aconteceu por aqui, depois de vários intervalos de mamadas e sonecas e alguns dias depois (põe dias nisso), desde o início do texto. Digitando com ele no outro braço estava segurando ele. Caso contrário não terminaria. É essa é minha nova vida, com a minha grande riqueza nos braços. Me apaixono cada vez que vejo o rostinho lindo. Não da pra cansar de olhar suas mãozinhas, que já começam a segurar em mim, me fazendo me sentir “SUPER”.

É muito amor ...